Em 24 horas, 30 cidades de PE recebem cilindros de oxigênio para pacientes com Covid-19

Em 24 horas, 30 cidades de PE recebem cilindros de oxigênio para pacientes com Covid-19

Em 24 horas, 30 municípios de Pernambuco precisaram ser atendidos pela Central Emergencial de Fornecimento de Gases Medicinais. Ela começou a funcionar no sábado (29) para auxiliar cidades do interior do estado após relatos de risco de falta de oxigênio e transferências de pacientes com Covid-19 no Agreste.

Até as 16h de domingo (30), segundo a SES, foram envasados 398 cilindros de oxigênio, totalizando 3.017 metros cúbicos enviados às cidades.

A central emergencial funciona 24 horas por dia para enviar o insumo às unidades municipais de saúde. A capacidade total de abastecimento é de 30 mil metros cúbicos de oxigênio, sendo 80 cilindros por hora.

Para receber oxigênio do governo, os municípios precisam enviar um ofício à Secretaria Estadual de Saúde (SES) informando o número de leitos do serviço de saúde, consumo médio de oxigênio, tempo estimado para esgotamento da capacidade e do próximo fornecimento regular e a necessidade de cilindros.

Na sexta-feira (28), distribuidores de oxigênio hospitalar de Pernambuco divulgaram uma carta aberta para pedir ao governo providências para evitar o colapso no abastecimento no estado.

Nessa mesma data, pelo menos 14 cidades corriam risco de ficar sem oxigênio para atender os pacientes. No sábado (29), o governo informou que foi procurado por 65 municípios para envio dos cilindros.

A maior parte dessas cidades fica no Agreste de Pernambuco. Nessa região do estado, que está em quarentena até o dia 6 de junho, o governo investiga a circulação de novas variantes do coronavírus. Em 15 dias, o número de solicitações de leitos de UTI subiu 50%.